cidadania
o que é fia como colaborar com são empregados os recursos empresas participantes

A Ação da Cidadania Empresarial pela Infância e Adolescência surgiu para mobilizar as empresas mineiras a participarem de projetos voltados para a melhoria das condições de vida de crianças e adolescentes. O movimento começou quando o diretor-superintendente da Telemig Celular, Luiz Gonzaga Leal, resolveu contribuir para o Fundo da Infância e Adolescência (FIA), a partir de um encontro com representantes do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente. O Fundo permite às empresas doarem 1% de seu Imposto de Renda a pagar (no caso de pessoas físicas 6%) para ações que beneficiem crianças e adolescentes carentes. É um mecanismo semelhante ao das leis de incentivo à cultura.

A parceria do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, Secretaria de Estado do Trabalho, da Assistência Social, da Criança e do Adolescente (Setascad) com a Telemig Celular e a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) resultou no lançamento da cartilha "Como transformar Imposto de Renda em futuro para crianças e adolescentes", em maio de 1999. Esse foi o primeiro passo para a campanha de captação de recursos para o FIA.

No dia 11 de junho de 99, foi assinado um decreto estadual que determina a doação de 1% do Imposto de Renda devido de empresas estatais para o Fundo para a Infância e Adolescência. A partir dos contatos feitos entre os empresários, estimulados pelas possibilidades oferecidas pelo FIA, surgiu o projeto da Ação de Cidadania Empresarial pela Infância e Adolescência, aprovado em 20 de outubro último na plenária do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente.

O lançamento oficial da Ação de Cidadania Empresarial pela Infância e Adolescência, aconteceu no dia 19 de outubro, no Espaço Empresarial Luminis, em Belo Horizonte. Presentes, lideranças das principais empresas de Minas Gerais, que, na ocasião, assinaram o termo de adesão ao movimento, comprometendo-se a doar 1% de seu imposto devido ao Fundo para a Infância e Adolescência.

A meta de arrecadação para o ano 2000 é de R$ 6 milhões. Dois projetos foram escolhidos como "bandeira" do movimento, em função do alcance de seus resultados: a Bolsa Familiar para a Educação (Bolsa-Escola), que será desenvolvido na região do Vale do Jequitinhonha, e o Sistema de Atendimento ao Menor Infrator. Outros projetos para crianças e adolescentes de todo o Estado também serão contemplados com recursos arrecadados.

fotos: Rodrigo Almeida by TN mapa do site fale conosco